21.5.08

Closer

A propósito de uma música linda de Damien Rice que voltei a ouvir, numa passagem pelo blog Que reste-t-il de nos amours?, lembrei-me do filme da qual a mesma faz parte.
Não é de todo mais um filme, é para mim uma excelente visão do valor que a intimidade tem numa relação, do seu peso, da verdade da mesma e bem como da veracidade individual que compõe um casal, seja qual for o seu género.
É um excelente relato dos medos e inseguranças que envolvem o Ser,do valor do acto da partilha afectiva e ainda para mim, do risco que se corre perante o que é novo, o que é desconhecido para o coração.
Foi esta a análise que fiz quando vi este filme, uma análise que á partida parece um panorama longínquo da realidade mas muito recorrente na vida emocional daqueles com quem nos cruzamos no dia-a-dia, basta estarmos despertos a saber olhá-los,

rv

( um pequeno excerto do filme)

3 comentários :

Lover disse...

sem dúvida um excelente filme, vejo e revejo e descubro sempre um novo detalhe...e da última vez que vi a cena que me marcou foi quando o Dan confessa à Alice que ama a Ana porque ela não precisa dele...:)

RV disse...

pois lover , é o desenvolvimento individual de cada um e os seus reflexos

serotonina disse...

esse filme também faz parte da minha videoteca.