9.6.08

Of the happiness...




«Um dia quando a ternura for a única regra da manhã, acordarei entre os teus braços, a tua pele será talvez demasiado bela.
e a luz compreenderá a impossivel compreensão do amor.
Um dia, quando a chuva secar na memória, quando o inverno for tão distante,quando o frio responder devagar com a voz arrastada de um velho,estarei contigo e cantarão pássaros no parapeito da nossa janela, sim, cantarão pássaros, haverá flôres, mas nada disso será culpa minha, porque eu acordarei nos teus braços e não direi nem uma palavra, nem o principio de uma palavra, para não estragar a perfeição da felicidade.»

José Luis Peixoto, in Criança em Ruínas

6 comentários :

serotonina disse...

Oh mulher, tu com estas fotos queres matar-me de emoção. Bolas, não há quem aguente! Bolas!
:)

Cucas disse...

Sabes como é... eu vejo uma camera e sai-me assim com naturalidade...
born to be a star...
e o verde fica-me tão bem...

Abracinhos esguios e verdes

RV disse...

lolololo,

é linda a foto não é?

achei apropiada ao texto!

bjs

RV disse...

cuquinhas,

lol acredito q sim, arranjas sp umas fotos em q tenho primeiro de me recompor do riso antes de lêr o texto,

abracinhos

Andr3 disse...

Já ha imenso tempo que José Luis Peixoto me anda a vir ás retinas imensas vx´s, e o apetite em ler algo desse senhor me persegue!
Este post so serviu p aguçar ainda mais.. :)
Acho que vou gostar de algo dele!
Próxima oportunidade!

Posts interessantes por aqui. ;)

RV disse...

O Peixoto e o Eugénio de Andrade p mim são eternos!